Carregando...

Eventos

Confira o cronograma de eventos da paróquia:

"24 horas para o Senhor"

"24 horas para o Senhor"

09 de Março de 2018 - 10 de Março de 2018
18:00 - 18:00
Igreja Matriz Santo Antônio de Pádua
"24 horas para o Senhor"
Nos dias 9 e 10 de março, as igrejas das dioceses de todo o mundo são convidadas a deixar abertas as suas portas ininterruptamente, oferecendo assim aos fiéis que desejarem, a possibilidade do acesso à Confissão e à Adoração Eucarística. Nesta quinta edição da iniciativa, o Papa Francisco também encontrará os Missionários da Misericórdia.
O Papa Francisco, na mensagem para a Quaresma, recordou que “se por vezes parece apagar-se em muitos corações o amor, este não se apaga no coração de Deus! Ele sempre nos dá novas ocasiões, para podermos recomeçar a amar”.
E uma ocasião propícia para isto – afirmou - é a iniciativa «24 horas para o Senhor», que convida “a celebrar o Sacramento da Reconciliação num contexto de Adoração Eucarística”.
De fato, no dias 9 e 10 de março, as igrejas das dioceses de todo o mundo são convidadas a deixar abertas as suas portas ininterruptamente, oferecendo assim aos fiéis que desejarem, a possibilidade do acesso à Confissão e à Adoração Eucarística.
Nesta quinta edição da iniciativa, o Papa Francisco também encontrará os Missionários da Misericórdia, que por desejo do próprio Santo Padre, continuam com sua missão de levar o Sacramento da Reconciliação nos cinco continente, dois anos após o Jubileu da Misericórdia.
Na Itália, a iniciativa chegará também às prisões, graças à disponibilidade dos capelães, como antecipou à Agência Sir o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, o arcebispo Rino Fisichella.
A iniciativa “24 horas para o Senhor” está no coração do Papa, que falou dela também na mensagem final para a Quaresma. Quais as novidades da edição deste ano?
“É verdade, podemos dizer que esta iniciativa – que chega à quinta edição – insere-se sempre mais no coração da Igreja, tanto que tornou-se um momento que parece ser um encontro fixo da Quaresma: o Papa Francisco a incluiu também em sua Mensagem. O tema deste ano é uma expressão do Salmo 30: “Junto de vós está o perdão”. O desejo é o de abrir o coração para fazer entrar a vida de Deus, que o transforma e assim nos faz felizes”.
A resposta das Igrejas locais a esta iniciativa, poderíamos dizer que dê corpo a uma espécie de “mapa” das dioceses do mundo em resposta ao Sacramento da Confissão e à Adoração Eucarística. Sob este aspecto, qual o panorama nos diferentes continentes?
“Das notícias que recebemos quando os bispos vêm a Roma para as visitas “ad limina”, vemos que quando se fala “24 horas para o Senhor”, todos já sabem do que se trata. É um sinal muito importante para nós, porque quer dizer que vivem esta experiência e permitem realizá-la e difundi-la nas próprias dioceses. Precisamente nestes dias, recebi uma carta do Inspetor Geral dos Cárceres que continha a proposta de viver “24 horas para o Senhor” também nas penitenciárias. Os capelães foram alertados para viver esta experiência e este momento de perdão: um momento, este, que foi pensado, desejado e esperado”.
Vivemos momentos como estes também no calendário do Jubileu convocado pelo Papa Francisco....
“Durante o Jubileu tocamos com a mão como o nosso povo tem a necessidade da misericórdia. É um caminho que continua, uma dimensão que, de maneira especial, vemos entrar sempre mais na vida das nossas comunidades. A experiência do perdão é sem dúvida um das experiências mais belas que podemos experimentar em nossa vida: se porém não o imploramos como dom do Pai, se não nos deixamos perdoar por Ele, não seremos capazes de poder recebê-lo e, por sua vez, perdoarmos os nossos irmãos”.
Depois da Quaresma, o foco é o caminho de preparação ao Sínodo dos Jovens. Como vocês estão se preparando para este acontecimento, que terá um “ensaio geral” no encontro dos jovens italianos em agosto com o Papa?
“Depois do “24 horas para o Senhor”, no Domingo de Ramos celebraremos em nível diocesano o Dia Mundial da Juventude. Muitos jovens virão a Roma para vivê-la com o Papa Francisco, a espera do Sínodo de outubro. O domingo seguinte será o Domingo da Misericórdia, que este ano será vivido de maneira particularmente solene: o Papa celebrará a Missa na Praça São Pedro, junto com todas as pessoas, grupos, associações, realidades da vida consagrada, que se inspiram na misericórdia. E o tema da misericórdia será retomado também nos dias sucessivos, em que estarão presentes em Roma tantos “Missionários da Misericórdia” que o Papa decidiu enviar pelo mundo durante o Jubileu. Trata-se de um encontro desejado e decidido pelo Santo Padre, que quis encontrar novamente os missionários, dois anos mais tarde, para analisar junto com eles o percurso feito, ouvir os seus testemunhos e manter aceso o sentido vivo do Pai que perdoa sempre, a quem implora a sua misericórdia, removendo todo obstáculo ao perdão”.
O processo de reforma do Papa Francesco para a Cúria Romana, como sabemos, segue em frente. Há alguma novidade em relação a este dicastério?
“Também nós estamos à espera de saber o que acontecerá. Muitos passos foram dados, alguns dicastérios fora incorporados. Não posso e não sou capaz de prever os passos sucessivos. Isto não evita que continuemos a viver a experiência da nova evangelização, um tema fundamental e determinante para a vida da Igreja, sobretudo neste momento. Basta pensar no Sínodo de 2012 e na Evangelii gaudium, que podemos definir como uma verdadeira ‘Carta Magna’ da nova evangelização. Independente do êxito da reforma, permanecerá uma dimensão estrutural: o tema da nova evangelização está em primeira alinha na vida da Igreja”.
Dia especial de Oração e Jejum pela Paz

Dia especial de Oração e Jejum pela Paz

23 de Fevereiro de 2018 - 23 de Fevereiro de 2018
00:00 - 23:55
Todas as comunidades
REZEMOS COM O PAPA PELA PAZ NO MUNDO
“As vitórias obtidas com a violência são falsas vitórias”, reiterou Francisco ao convocar este dia de jejum e oração pela paz durante o Angelus de 4 de fevereiro.
No Angelus do domingo 4 de fevereiro, o Papa lançou um apelo em favor da paz, convocando para esta sexta-feira da primeira semana da Quaresma, um Dia de Oração e Jejum.
Francisco ressaltou na ocasião que “as vitórias obtidas com a violência são falsas vitórias”.
“Diante da trágica continuação de situações de conflito em diversas partes do mundo, convido todos os fiéis a um Dia especial de Oração e Jejum pela Paz em 23 de fevereiro próximo, sexta-feira da Primeira Semana da Quaresma”.
“O ofereceremos em particular pelas populações da República Democrática do Congo e do Sudão do sul. Como em outras ocasiões similares, convido também os irmãos e irmãs não católicos e não cristãos para se associarem a esta iniciativa nas modalidades que considerarem mais oportunas, mas todos juntos”.
O Papa recordou que “o nosso Pai Celeste escuta sempre os seus filhos que gritam a Ele na dor e na angústia, «cura os corações feridos e enfaixa suas feridas»”, e convidou a que cada um perguntasse na própria consciência: “O que eu posso fazer pela paz?”:
“Certamente podemos rezar; mas não só. Cada um pode dizer concretamente “não” à violência naquilo que depender dele ou dela. Porque as vitórias obtidas com a violência são falsas vitórias; enquanto trabalhar pela paz faz bem a todos!”
Esta não é a primeira iniciativa em favor da paz promovida por Francisco em seu pontificado.
Setembro de 2013: No dia 7 de setembro de 2013, véspera da Natividade de Maria, Rainha da Paz, a pedido do Papa foi realizado um dia de jejum e de oração pela paz na Síria, no Oriente Médio, e no mundo inteiro.
Junho de 2014: Em 8 de junho de 2014, um histórico encontro nos Jardins Vaticanos reuniu o Papa Francisco com os presidentes israelense e palestino, Simón Peres e Mahmud Abbas, para invocar juntos a paz no Oriente Médio.
O encontro teve por objetivo “fazer uma pausa na política para ver desde outra perspectiva e mostrar publicamente o desejo comum de que aconteça algo, de que caminhos que foram fechados se reabram, de voltar a sonhar com a paz”, explicou na ocasião o então Custódio da Terra Santa, o franciscano Pierbattista Pizzaballa, um dos organizadores do encontro.
Novembro de 2017: Em 23 de novembro de 2017, foi presidida pelo Pontífice no Altar da Cátedra da Basílica de São Pedro, uma Vigília de Oração pela paz no Sudão do Sul e na República Democrática do Congo.
por Jackson Erpen - Cidade do Vaticano
Quarta-feira de Cinzas

Quarta-feira de Cinzas

14 de Fevereiro de 2018 - 14 de Fevereiro de 2018
07:00 - 20:30
Comunidades
QUARTA-FEIRA DE CINZAS, DIA 14/FEVEREIRO/2018 – Dia de Jejum e abstinência
Horários de Celebrações:
- na Igreja Matriz às 07:00 h (manhã) – às 15:00 h (à tarde) e às 19:00 h (à noite)
- na Igreja São Jorge (Serro Azul) às 18:30 h
- na Igreja Nossa Senhora Aparecida (Vila Nova) às 19:30 h
- na Igreja Nossa Senhora de Lourdes (Volta Grande) às 20 horas
- na Igreja Santa Rita de Cássia (Industrial Norte) às 20:30 h.

A Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma
A Quarta-feira de Cinzas foi instituída há muito tempo na Igreja; dia que marca o início da Quaresma, tempo de penitência e oração mais intensa. Para os antigos judeus, sentar-se sobre as cinzas já significava arrependimento dos pecados e volta para Deus. As cinzas bentas e colocadas sobre as nossas cabeças nos fazem lembrar que vamos morrer, que somos pó e ao pó da terra voltaremos (cf. Gn 3, 19), para que nosso corpo seja refeito por Deus de maneira gloriosa, para não mais perecer.

Qual é o sentido?
A intenção desse sacramental é levar-nos ao arrependimento dos pecados, marcando o início da Quaresma, é fazer-nos lembrar de que não podemos nos apegar a esta vida, achando que a felicidade plena possa ser construída aqui. É uma ilusão perigosa. A morada definitiva é o céu.

A maioria das pessoas, mesmo os cristãos, passa a vida lutando para “construir o Céu na Terra”. É um grande engano! Jamais construiremos o Céu na Terra, jamais a felicidade será perfeita no lugar que o pecado transformou num vale de lágrimas. Devemos, sim, lutar para deixar a vida na Terra cada vez melhor, mas sem a ilusão de que ficaremos sempre aqui.

Deus dispôs tudo de modo que nada fosse sem fim nesta vida. Qual seria o desígnio do Senhor nisso? A cada dia de nossa vida, temos de renovar uma série de procedimentos: dormir, tomar banho, alimentar-nos etc. Tudo é precário, nada é duradouro, tudo deve ser repetido todos os dias. A própria manutenção da vida depende do bater interminável do coração e do respirar contínuo dos pulmões. Todo o organismo repete, sem cessar, suas operações para a vida se manter. Tudo é transitório, nada é eterno. Toda criança se tornará um dia adulta e, depois, idosa. Toda flor que se abre logo estará murcha; todo dia que nasce logo se esvai; e assim tudo passa, tudo é transitório.

Qual a razão de nada ser duradouro?
Com­pra-se uma camisa nova e, logo, já está surrada; compra-se um carro novo e, logo, ele estará bastante rodado e vencido por novos modelos, e assim por diante.

A razão inexorável dessa precariedade das coisas também está nos planos de Deus. A marca da vida é a renovação. Tudo nasce, cresce, vive, amadurece e morre. A razão profunda dessa realidade tão transitória é a lição cotidiana que o Senhor nos quer dar de que esta vida é apenas uma passagem, um aperfeiçoamento, em busca de uma vida duradoura, eterna e perene.

Em cada flor que murcha e em cada homem que falece, sinto Deus nos dizer: “Não se prendam a esta vida transitória. Preparem-se para aquela que é eterna, quando tudo será duradouro, e nada precisará ser renovado dia a dia.”
Catequese

Catequese

08 de Fevereiro de 2018 - 28 de Fevereiro de 2018
08:00
Comunidades
AVISOS SOBRE A CATEQUESE
MATRÍCULAS: Estão abertas as matrículas para catequese de eucaristia e de crisma, para crianças e adultos. Para crianças que completam 10 anos em 2018; para adultos acima de 18 anos. As matrículas podem ser feitas na secretaria paroquial SOMENTE durante o mês de fevereiro. A catequese começa no início de março.
CONVITE PARA NOVOS CATEQUISTAS: convidamos quem deseja ser catequista na comunidade Matriz, entrar em contato com a secretaria paroquial.
ENCONTRO PAROQUIAL PARA CATEQUISTAS: haverá Encontro para os catequistas de todas as comunidades, no dia 18 de fevereiro (PRÓXIMO DOMINGO), com início às 14:00 h e término com a Missa das 19 horas, no Salão da Igreja Matriz.